• DNIT

Boletim 06 de abril I Manhã

Serra da Anita com tempo seco, fluxo bloqueado no sentido norte, com fila de 7,5 km, em razão das fortes chuvas na região. No sentido norte passaram pelo PCTrans 134 carretas com 9 eixos, 41 carretas com 7 eixos e 12 caminhões, sem rebocamentos. Já no sentido sul, passaram 629 carretas com 9 eixos, 84 carretas com 7 eixos e 72 caminhões, sem rebocamentos.


Em Riozinho, tempo seco, fluxo parado com bloqueio no sentido sul, com trafegabilidade parcialmente interditada neste trecho, e fila de 1 km. No sentido norte passaram pelo PCTrans 385 carretas com 9 eixos, 166 carretas com 7 eixos e 27 caminhões, sem rebocamentos. Já no sentido sul, passaram 579 carretas com 9 eixos, 225 carretas com 7 eixos e 24 caminhões, 01 rebocamento de caminhonete.


Na Serra do Moraes, tempo seco. Fluxo normal com trafegabilidade parcialmente interditada no sentido sul, com fila de 1 km. No sentido norte passaram pelo PCTrans 385 carretas com 9 eixos, 166 carretas com 7 eixos e 27 caminhões, sem rebocamentos. Já no sentido sul, passaram 579 carretas com 9 eixos, 225 carretas com 7 eixos e 24 caminhões, 01 rebocamento.


Sobre a Operação Radar

A inspeção diária da BR-163/PA é uma estratégia integrada para escoamento da safra 2018/2019 e faz parte do conjunto de medidas definidas pelo Ministério da Infraestrutura e DNIT, em parceria com o Exército Brasileiro. A operação, que teve início no dia 2 de dezembro de 2018 e segue até maio de 2019, traz uma série de ações, como a instalação de bases operacionais em três trechos da BR (pontos críticos), localizados entre os municípios de Novo Progresso e Moraes Almeida; mobilização de mais de 900 pessoas de equipes do DNIT e do Exército; implantação de sinalização específica para controle do tráfego, e envio de mais de 40 veículos e equipamentos especiais.


Dos 707,4 quilômetros da BR-163/PA localizados desde a divisa com Mato Grosso até a entrada para o Porto de Miritituba, 658 quilômetros já foram pavimentados pelo DNIT. Os quase 49 quilômetros a serem asfaltados estão divididos em dois lotes de obras, sendo 3 km ao sul da Vila do Caracol e 46 km sob responsabilidade do Exército perto de Moraes Almeida.


O trecho da BR-163/PA que foi mais afetado pelas chuvas, próximo à Vila do Caracol, que estava em leito natural, hoje está com os serviços de terraplenagem e drenagem realizados e de pavimentação em execução, o que elevou o nível da rodovia. Somente entre junho e outubro de 2018 já foram pavimentados mais de 33 quilômetros, e o objetivo principal da Autarquia é concluir 100% ainda em 2019. Com o avanço físico das obras neste trecho agora restam apenas sete quilômetros, que receberá as camadas finais de pavimentação e o pavimento asfáltico.


Já em relação às obras sob responsabilidade do Exército Brasileiro, houve grandes avanços com a eliminação dos principais pontos de gargalos na trafegabilidade, que são as serras da Anita e de Moraes. Por ter uma rampa muito íngreme para vencer as serras, e por estar em revestimento primário, estes trechos são constantes alvos de bloqueios neste período pelo tráfego pesado de carga. O rebaixamento de ambas as serras já foi 100% concluído, restando apenas serviços de drenagem profunda e superficial e posteriormente sua pavimentação.


O DNIT planeja a conclusão da pavimentação do corredor até o distrito de Miritituba para o ano de 2019.


ASCOM/DNIT

06/04/2019

  • Twitter - White Circle
  • Facebook - White Circle

© 2017 DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes