• DNIT

Boletim 25 de janeiro | Tarde

Tempo seco na Serra da Anita com fluxo parcialmente interditado no sentido norte, na tarde desta sexta-feira (25/01). As carretas estão com dificuldades de subir a Serra da Anita devido a pista escorregadia. Em Riozinho das Arraias o tempo está seco, com trafegabilidade normal nos dois sentidos. Na Serra do Moraes, tempo também seco, com trafegabilidade normal nos dois sentidos. Os três trechos são diariamente monitorados pela Operação Radar 163.





Sobre a Operação Radar 163


A inspeção diária da BR-163/PA, visando uma atuação preventiva ou emergencial, faz parte do conjunto de medidas definidas pelo DNIT, em parceria com o Exército Brasileiro e a Polícia Rodoviária Federal. Em dezembro de 2017, equipes foram mobilizadas na rodovia em ao menos quatro bases operacionais, localizadas no Km 30 (Trairão), Vila do Caracol, Moraes Almeida e Novo Progresso, envolvendo pessoal, equipamentos, veículos e sinalização. Outras ações são o monitoramento e controle de tráfego, além de um sistema para divulgação de informações. Ainda como parte da Operação iniciada em 2017, as condições de trafegabilidade da rodovia serão atualizadas diariamente e podem ser conferidas no endereço www.br163pa.com.


Estas ações envolvem mais de 40 veículos especiais e outros equipamentos, tais como pick ups, retroescavadeiras, containers, caminhões carroceria, caminhões tanque, tratores agrícolas, motoniveladoras, escavadeiras hidráulicas e cavalos mecânicos com reboque.

Dos 707,4 quilômetros da BR-163/PA localizados desde a divisa com Mato Grosso até a entrada para o Porto de Miritituba, 658 quilômetros já foram pavimentados pelo DNIT, representando um investimento de mais de dois bilhões do Governo Federal. Os quase 49 quilômetros a serem asfaltados estão divididos em dois lotes de obras, sendo 3km, ao sul da Vila do Caracol, sob a responsabilidade da Construtora Agrienge, e 46 km sob responsabilidade do Exército perto de Moraes de Almeida.


O trecho da BR-163/PA que foi mais afetado pelas chuvas, próximo à Vila do Caracol, que estava em leito natural, hoje está com os serviços de terraplenagem e drenagem realizados e de pavimentação em execução, o que elevou o nível da rodovia. Somente entre junho e outubro de 2018 já foram pavimentados mais de 33 quilômetros, e o objetivo principal da Autarquia é concluir 100% ainda em 2018. Com o avanço físico das obras neste trecho agora restam apenas sete quilômetros, que receberá as camadas finais de pavimentação e o pavimento asfáltico, a depender das chuvas que ocorrem na região neste período.


Já em relação às obras sob responsabilidade do Exército Brasileiro, houve grandes avanços com a eliminação dos principais pontos de gargalos na trafegabilidade, que são as serras da Anita e de Moraes. Por ter uma rampa muito íngreme para vencer as serras, e por estar em revestimento primário, estes trechos são constantes alvos de bloqueios neste período pelo tráfego pesado de carga. O rebaixamento de ambas as serras já foi 100% concluído, restando apenas serviços de drenagem profunda e superficial e posteriormente sua pavimentação. No próximo período chuvoso, a transposição das serras será menos problemática por não existir o elevado greide, que dificultava a passagem dos caminhões na região.


Além destes, outro ponto da rodovia no trecho do Exército está em vias finais de pavimentação para permitir melhorias sensíveis na qualidade da via para o transporte de cargas, reduzindo assim o custo da produção agrícola do país. Este corredor vem se consolidando como rota alternativa ao escoamento da produção para o Porto de Santos, em São Paulo, que já se encontra bastante saturado. A carga teria rota para o Porto de Miritituba, no Pará, através da pavimentação completa da BR-163.


A conclusão integral da pavimentação do trecho entre a divisa dos estados de Mato Grosso e Pará até a cidade de Santarém/PA está estimado em R$ 2,55 bilhões de reais. O DNIT planeja a conclusão da pavimentação do corredor até o distrito de Miritituba para o ano de 2019.


Assessoria de Comunicação Social – ASCOM/DNIT

25/01/2019

  • Twitter - White Circle
  • Facebook - White Circle

© 2017 DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes